BLOG CELLA

Archive for outubro, 2010

10º Encontro Íbero-Latino-Americano de Governo Eletrônico e Inclusão Digital

22 de outubro de 2010 4:27 pm

banner-egov

Data: 03 a 05 de novembro de 2010

Local: Universidade Federal de Santa Catarina, auditório do CCJ

Programa (ver mais detalhes aqui)

3 de novembro
14:30/17:30 Reunião de trabalho dos grupos de pesquisa Brasil/Espanha (fechado ao grupo)
Aires J Rover
Fernando Galindo
Orides Mezzaroba
José Renato Cella
Philip Leith
Aírton José Ruschel
Edson Rosa Gomes da Silva
Egon Sewald Junior
Giovani de Paula
Juliano Tonizetti Brignoli
Marcus Vinicius A S Ferreira
Paloma Maria Santos
Marisa Carvalho
Marciele Berger
Joni Hoppen dos Santos

4 de novembro
13:00/13:30 Abertura
13:30/15:00 Painel: E-gov e Democracia
Fernando Galindo (Universidad de Zaragoza – Espanha)
Aires José Rover (CPGD-EGC/UFSC)
Orides Mezzaroba (CPGD/UFSC)
Presidente: Luis Adolfo Olsen da Veiga (CCJ/UFSC)

15:00/16:30 Painel: E-gov, Poder judiciário e Segurança pública
Márcio de Almeida Marques (Coordenador de Redes da Coordenação Geral de Inteligencia da
Secretaria Nacional de Segurança Pública)
Jorilson da Silva – Cidade Segura” (Coordenador de Tecnologia da Informação do Ministério da Justiça).
Presidente: Airton José Ruschel

16:30/18:00 Painel: Convergência e inclusão digital
Edna Brennand (área de TV digital)
Philip Leith (Universidade de Belfast)
Antônio Marcos Feliciano (EPAGRI – SC)
Presidente: Paloma Santos

18:00 Lançamento de livros

18:15/18:30 Intervalo

18:30/20:00 Painel: Experiências, aplicações, modelos e métodos de E-gov
Denilson Sell (EGC/UFSC)
José Leomar Todesco (EGC/UFSC)
José Renato Cella (PUC/PR)
Presidente: Edson Rosa  Silva

5 de novembro

13:00/20:00 Apresentações dos artigos nos grupos de trabalho consecutivos:

Presidentes de mesa:

Egon Sewald Junior

Giovani de Paula

Juliano Tonizetti Brignoli

Marcus Vinicius A S Ferreira

Marisa Carvalho

Marciele Berger

Leitura para o final de semana

4:10 pm

livro-sociedade-em-rede

ROVER, Aires José, CARVALHO, Marisa Araújo (Orgs.). O sujeito do conhecimento na sociedade em rede. Florianópolis: FUNJAB, 2010.

Acaba de ser publicado livro em que há artigo de minha autoria intitulado Sociedade em Rede e Conhecimento Científico: uma Crítica ao Método da Complexidade de Edgar Morin, em que trato da metodologia científica e o problema da verdade, com críticas à teoria da complexidade de Edgar Morin.

Ver abaixo a estrutura e apresentação do livro:

Carteirada da Advocacia Geral da União

11 de outubro de 2010 4:49 pm
Stasi, mas pode chamar de AGU

Stasi, mas pode chamar de AGU

Recentemente recebi em meu endereço residencial a Norificação nº 56/2010 (cópia da íntegra abaixo), oriunda da Advocacia Geral da União – AGU e subscrita pela advogada Marcela Paes Barreto Lima Marinho, pela qual fui notificado “para que, no prazo de 24 horas, retire […] notícia […] veiculada no site http://www.cella.com.br/blog, com o fim de reduzir a lesão já provocada à Instituição, seus Desembargadores e Juízes, e à União”.

Trata-se de um comentário “spam” postado por terceiros neste blogue, em postagem cujo tema não possui nenhuma relação com o comentário postado e a respeito do qual não tenho nenhuma participação ou responsabilidade.

Ainda assim a AGU, num ato pusilâmine de intimidação, por meio de uma clássica “carteirada”, pretende impor, com prazo assinalado, uma obrigação de fazer, como se aquele Órgão possuísse alguma autoridade nesse sentido.

O Marco Civil da Internet, que esteve em discussão pública no início deste ano de 2010 (ver postagem aqui), pretendia responsabilizar provedores e blogueiros pelos conteúdos que terceiros porventura pusessem em seus domínios, proposta que rapidamente foi repudiada, já que o texto do artigo da primeira fase delegava ao provedor de internet o dever de notificar e remover conteúdos considerados ofensivos.

“É a mesma coisa que dizer que a montadora de carros tem culpa num assalto a banco em que o criminoso usou um carro para fugir”, diz Eduardo Parajo, presidente da Abranet (Associação Brasileira de Internet).

No texto da segunda fase o artigo foi modificado: agora apenas a Justiça pode ordenar a remoção de conteúdo da rede. “Agora ficamos felizes: finalmente está no papel que somos prestadores de serviço e que não somos responsáveis pelo conteúdo gerado por terceiros”, completa.

Aliás, se a AGU foi tão diligente em localizar meu endereço residencial, cujos dados não constam nem de meus registros profissionais, nem nos registros de meus domínios na internet, por que então não se valeu de suas estranhas facilidades para descobrir quem foi o responsável pelos comentários que ela pretende ver excluídos por julgar danosos à União e aos seus servidores, já que essa pessoa é a única responsável pelo que disse?

Aliás Dra. Marcela Paes Barreto Lima Marinho, gostaria de saber como é que Vossa Senhoria obteve os dados de meu endereço residencial. Quebrar sigilos e dar carteiradas é algo corriqueiro aí na AGU? O treinamento que recebem segue a cartilha da finada Stasi?

Termo de Deliberação

Termo de deliberação 2

XIX Congresso Nacional do Conselho Nacional de Pesquisa e Pós-Graduação em Direito – CONPEDI

9 de outubro de 2010 7:29 pm

conpedi-florianopolis

Na próxima semana estarei no XIX Congresso Nacional do Conselho Nacional de Pesquisa e Pós-Graduação em Direito – CONPEDI para apresentação do artigo Inteligência artificial aplicada em sistemas públicos de saúde: proposta para ganho de eficiência em governo eletrônico (CELLA, J.R.G.), a aparecer nos Anais do evento, que terá lugar nos dias 13 a 16 de outubro de 2010, com apresentação, em 15 de outubro de 2010, no Grupo de Trabalho “Direito na Sociedade da Informação”, organizado pelo Programa de Pós-Graduação em Direito da Universidade Federal de Santa Catarina – UFSC e pelo CONPEDI, Florianópolis. Ver programação aqui.

Recomendação de Leitura

7:15 pm

andreoni

VASCONCELLOS, Fernando Andreoni. Hermenêutica jurídica e derrotabilidade. Curitiba: Juruá, 2010.

O livro cuja leitura é fortemente recomendada vai com prefácio de minha lavra e de Cesar Antonio Serbena, cujo teor é reproduzido abaixo:

CELLA, J.R.G., SERBENA, C.A. Derrotabilidade: uma refinada metodologia para o pós-positivismo (Prefácio). In: VASCONCELLOS, F.A. Hermenêutica jurídica e derrotabilidade. Curitiba: Juruá, 2010, p. 7-10.

PREFÁCIO

Derrotabilidade: uma refinada metodologia para o pós-postivismo

Los derechos humanos son asunto importante: a todos nos incumbe personalmente que se respeten y que se extiendan. Pero son también problemas. Como tales, no estamos muy seguros de ellos; dudamos de que efectivamente los hayamos conquistado. Ni siquiera estamos muy seguros de que los entendamos cabalmente: no tenemos aún una teoría suficiente para pensarlos con plenitud. Quizás los recursos tradicionales y envejecidos de la ciencia jurídica no responden a fenómenos nuevos que necesitan de nuevas categorías y de nuevos recursos teóricos. (Roberto J. Vernengo, Dos ensayos sobre problemas de fundamentación de los derechos humanos)

A presente obra, cujo prefácio tivemos o prazer de escrever, trata de um tema até então pouco comentado no Brasil, embora seja bastante conhecido no exterior[1]: derrotabilidade. Muitos se sentem curiosos com esse tema e sobre o seu significado. Nos últimos anos essa categoria vem sendo mais conhecida e divulgada, ainda que de forma fragmentada. Eis uma das qualidades da presente obra: trata-se das primeiras, senão a primeira obra, a se ocupar da derrotabilidade de forma sistemática. Aqui o leitor encontrará uma excelente exposição com tratamento teórico acurado e exemplificações jurisprudenciais que tornam a leitura do texto obrigatória para todos aqueles que possuem interesse no avanço da dogmática jurídica.

A derrotabilidade surgiu inicialmente fora da ciência jurídica, no Departamento de Ciência da Computação da Universidade de Columbia Britânica, Vancouver, Canadá, com R. Reiter, e na Universidade de Stanford, Califórnia, Estados Unidos, com John McCarthy, em 1980.

O objetivo inicial de ambos os autores foi, no âmbito da inteligência artificial, desenvolver sistemas lógicos que possibilitassem a formulação de linguagens de programação computacional com característica mais próximas da forma de raciocínio humano. O principal marco inovador do trabalho de ambos os autores foi a criação dos chamados sistemas não-monotônicos. A lógica clássica e a lógica silogística são monotônicas no sentido que, de um conjunto de premissas, podemos deduzir um conjunto de conclusões; porém, quando adicionamos novas premissas ao conjunto inicial de premissas, as mesmas conclusões já deduzidas continuam valendo. Uma lógica não-monotônica é uma lógica diferente da lógica clássica e da lógica silogística, uma vez que nela, de um conjunto inicial de premissas, deduzimos uma certa conclusão, mas, uma vez adicionada uma outra premissa ao mesmo conjunto inicial, as conclusões já deduzidas não continuam valendo necessariamente. Dependendo da premissa adicionada, ela pode “derrotar” a conclusão original e proporcionar uma nova conclusão. Essa é a forma de pensar que os seres humanos utilizam na maioria das vezes em que é necessário raciocinar. Geralmente nos baseamos em premissas gerais, porém elas podem facilmente ser excepcionadas, o que nos força a revisar nossas crenças e extrair novas conclusões. Umberto Eco costuma ilustrar esse ponto com o exemplo do ornitorrinco: um animal em parte mamífero, que coloca ovos e possui um bico de pato. Ele é uma curiosa exceção às diversas categorias definidas pelos zoólogos.

Cerca de uma década mais tarde, nos anos 1990, alguns lógicos deônticos passaram a utilizar os formalismos de R. Reiter para a representação do raciocínio jurídico. Percebeu-se que o raciocínio jurídico é um típico exemplo de utilização da inferência não-monotônica ou do raciocínio derrotável: basta pensar que o magistrado, ao partir de um conjunto inicial de fatos provados, pode mudar radicalmente sua convicção inicial frente a uma nova prova produzida ao final do processo e sentenciar de uma forma contrária à decisão inicialmente formulada mentalmente. Da lógica deôntica não-monotônica ou derrotável a derrotabilidade migrou rapidamente para a Teoria do Direito.

Em tempos de pós-positivismos e neo-constitucionalismos, afirma-se que o positivismo jurídico de Kelsen estaria superado. O prof. Robert Alexy afirma que sua teoria, com a fórmula de Radbruch e com a postulação de uma conexão necessária entre Direito e Moral, pretendeu superar o positivismo jurídico, principalmente os de Kelsen e de Hart. Porém sua teoria vem sendo submetida a um duro exame, principalmente pela rigorosa crítica do Professor Catedrático da Universidade de Buenos Aires Eugenio Bulygin. A sua crítica expõe o que consideramos ainda um problema em aberto na teoria do Direito: os pós-positivismos, como o de R. Alexy e Ronald Dworkin, ainda carecem de uma base filosófica e metodologicamente consistente, sem incorrer em contradições. A derrotabilidade, enquanto propriedade formal de certas regras de inferência, cumpre um importante papel. Com ela, pensamos, os princípios jurídicos podem adentrar à teoria do Direito pela porta da frente, sem se refugiar em antigos jusnaturalismos há muito superados pela crítica positivista.

Outro ponto que gostaríamos de enfatizar é que a derrotabilidade retira o tapete que encobre a maneira usual de raciocinar dos juristas. Ela faz ver que as regras de inferência utilizadas pelo raciocínio jurídico são, em sua maioria, não-monotônicas. Alguns criticam a derrotabilidade afirmando que ela traz insegurança jurídica. A crítica é infundada, pois, geralmente, quem a formula não é consciente de que, ao raciocinar, utiliza na maioria dos casos condicionais derrotáveis, porém não admite expressamente essa realidade, ou por artifício retórico ou por falta de rigor científico, ou mesmo por desconhecimento.

A presente obra cumpre um papel importante no cenário brasileiro da ciência do Direito: traz uma contribuição muito importante à sua metodologia, ainda incipiente e de fato pouco desenvolvida se comparada a alguns países estrangeiros, como os Estados Unidos, a Itália, a Argentina e a Alemanha[2]. Apresentada originalmente como dissertação de mestrado no programa de pós-graduação em Direito da Universidade Federal do Paraná, foi aprovada com o conceito A por dois mestres exemplares, o prof. Dr. José Roberto Vieira, da Universidade Federal do Paraná, e o prof. Dr. Eugenio Bulygin, da Universidade de Buenos Aires.

Sobre o autor podemos dizer algumas palavras. Ele foi e é um de nossos melhores alunos; curioso intelectualmente, ponderado em suas afirmações e independente em suas convicções. Atualmente cursa o Doutorado em Direito na Universidade Federal do Paraná e certamente, dentro de poucos anos, será um autor reconhecido no cenário jurídico nacional. Esperamos que o leitor sinta a mesma satisfação que sentimos com a leitura da presente obra.

Curitiba, dezembro de 2009

José Renato Gaziero Cella (PUCPR) e Cesar Antonio Serbena (UFPR)


[1] (cf., dentre outros, o simpósio ocorrido no Oriel College de Oxford em março de 2008, especificamente sobre derrotabilidade)

[2] Sinal do referido atraso é o fato de teóricos como Georg Henrik von Wright, Carlos Eduardo Alchourrón, Roberto José Vernengo, Eugenio Bulygin, Jaap Hage e Giovanni Sartor não tenham ainda nenhuma de suas obras publicadas no Brasil.

Fortaleza – set.2010

7:00 pm

Na programação do Projeto de Pesquisa eGobs (2009-2012), patrocinado pela Agência Espanhola de Cooperação Internacional para o Desenvolvimento – AECID, os integrantes do grupo Fernando Galindo, Aires José Rover e José Renato Gaziero Cella foram recebidos pelo Prof. Dr. Gustavo Raposo Pereira Feitosa para reuniões de trabalho junto ao Poder Judiciário, ao Governo do Estado do Ceará, à Prefeitura Municipal de Fortaleza e à Universidade de Fortaleza – UNIFOR para tratarem sobre Processo Eletrônico, Observatório do Governo Eletrônico e Inclusão Digital.

cimg4833

cimg4834

cimg4835

cimg4839

cimg4844

Centro Cultural Dragão do Mar

Centro Cultural Dragão do Mar

cimg4857

Obras do Mestre Graciano

cimg4862

cimg4865

cimg4866

cimg4871

cimg4872

Buenos Aires – ago.-set.2010

6:20 pm

Conforme noticiado aqui, estive em Buenos Aires para a apresentação do artigo Qual internet queremos para o governo eletrônico e a democracia digital (CELLA, J.R.G.), In: Anais das 39 Jornadas Argentinas de Informática – 39 JAIIO, p. 2.124-2.130, organizado pela Sociedad Argentina de Informática – SADIO, que teve lugar nos dias 30 de agosto a 03 de setembro de 2010, na Universidad Argentina de la Empresa – UADE, com apresentação, em 30 de agosto de 2010, no Simposio Argentino de Informática y Derecho – SID 2010.

Fernando Galindo, José Renato Cella e Aírton Ruschel

Fernando Galindo, José Renato Cella e Aírton Ruschel

cimg4818

cimg4816

cimg4812

cimg4808

cimg4809

Colheita do Café – Minas Gerais – ago.2010

4:45 pm

Tempo de colheita sempre é tempo de comemoração!

Fazenda Fazendinha, Perdizes-MG

cimg4691

cimg4693

cimg4694

cimg4696

cimg4697

cimg4699

cimg4705

cimg4706

Quati

Quati

cimg4712

cimg4713

cimg4720

cimg4731

cimg4732

cimg4734

cimg4735

cimg4739

cimg4741

cimg4748

cimg4750

Pinguim - Ribeirão Preto

Pinguim - Ribeirão Preto

Pinguim - Ribeirão Preto

Pinguim - Ribeirão Preto

Ver mais sobre minha atividade agropecuária aqui, aqui, aqui, aqui, aqui, aqui, aqui e aqui.

Aracaju – 13 a 17.jul.2010

4:30 pm

Na programação do Grupo de Pesquisa Justiça, Democracia e Direitos Humanos, da Pontifícia Universidade Católica do Paraná – PUCPR,  projeto “Causas do Aumento de Demanda Judicial Repetitiva no Brasil e Propostas para sua Solução”, financiado pelo Conselho Nacional de Justiça – CNJ, sob a coordenação geral da Prof. Dra. Claudia Maria Barbosa, estive em Aracaju com os integrantes da equipe Guilherme da Costa, Amanda Carolina Buttendorff Rodrigues e Willian Batista de Oliveira para pesquisa de campo junto à Corregedoria de Justiça do Estado de Sergipe e Varas Cíveis da Comarca de Aracaju, sendo que os resultados finais da pesquisa serão finalizados no próximo mês de novembro.

Mercado Público

Mercado Público

cimg4653

cimg4656

Willian e Amanda

Willian e Amanda

cimg4661

Amanda, Guilherme, Willian e Z|é Renato

Amanda, Guilherme, Willian e Zé Renato

Guilherme, Z|é Renato e Amanda

Guilherme, Z|é Renato e Amanda

Amanda, Guilherme e Willian

Amanda, Guilherme e Willian

Amanda, Guilherme, Patrícia Oliveira Vieira (Corregedoria TJSE) e Zé Renato

Amanda, Guilherme, Patrícia Oliveira Vieira (Corregedoria TJSE) e Zé Renato

Madri – Verão de 2010

2:02 am

cimg3652

cimg3653

cimg3662

cimg3667

cimg3669

cimg3676

Museo del Jamon

cimg4615

Restaurante Sobrino de Botín

Restaurante Sobrino de Botín

cimg4619

cimg4641

Taberna Alhambra

cimg4643

Paris – Verão de 2010

1:47 am

Les Philosophes, ótimo restaurante no Marés

Les Philosophes, ótimo restaurante no Marés

Les Philosophes

Les Philosophes

Maigret de Canard no Les Philosophes

Maigret de Canard no Les Philosophes

Café Hugo, na Place des Vosgues

Café Hugo, na Place des Vosgues

cimg4129

Place des Vosgues

Place des Vosgues

Aires, Zé Renato e Orides

Aires, Zé Renato e Orides

Hôtel de Ville

Hôtel de Ville

Juliana, Aires, Zé Renato e Orides

Juliana, Aires, Zé Renato e Orides

Notre Dame

Notre Dame

Pont Neuf ao fundo

Pont Neuf ao fundo

cimg4250

Pont des Arts

Pont des Arts

Pont Neuf

Pont Neuf

cimg4267

cimg4276

cimg4279

cimg4284

cimg4294

cimg4305

cimg4309

cimg4342

Esplanade des Invalides

cimg4370

cimg4385

cimg4390

Pont Alexandre III

Pont Alexandre III

Opéra

Opéra

Place Vendôme

Place Vendôme

La Madeleine

La Madeleine

cimg4504

cimg4518

cimg4553

cimg4555

cimg4606

cimg4608

cimg4610

Barcelona – verão de 2010

12:53 am
Casa Gallega - Tapas deliciosos ali

Casa Gallega - Tapas deliciosos ali

cimg3953

cimg4085

055

057

cimg3941

cimg3942

Casa Batlló

Casa Batlló

Casa Batlló

Casa Batlló

Casa Batlló

Casa Batlló

Casa Batlló

Casa Batlló

Casa Batlló

Casa Batlló

Casa Batlló

Casa Batlló

Casa Milà (La Pedrera)

Casa Milà (La Pedrera)

cimg3964

Sagrada Família

Sagrada Família

cimg3985

cimg3991

cimg4018

Cavamar, excelente bodega em Barceloneta

Cavamar, excelente bodega em Barceloneta

Despedida de solteira em Barceloneta

Despedida de solteira em Barceloneta

Praia de Barceloneta

Praia de Barceloneta

cimg4063

cimg4067

cimg4070

cimg4072

Zaragoza – Julho de 2010

12:10 am

Conforme noticiado aqui, estive em Zaragoza para a SubTech 2010, onde apresentei o artigo intitulado Institutional integration of an ict in education solution in a brazilian university (CELLA, J.R.G., TARRIT, C.R.), In: Anais da 11th International Conference on Substantive Technology in Legal Education and Practice – SubTech 2010, que teve lugar nos dias 01 a 03 de julho de 2010, na Facultad de Derecho de la Universidad de Zaragoza, com apresentação, em 02 de julho de 2010, no Fourth plenary “Teaching Plataforms”.

Aires e Orides por ocasião da comemoração de meus 40 anos

Aires e Orides por ocasião da comemoração de meus 40 anos

Juliana, Zé Renato e Orides

Juliana, Zé Renato e Orides

Rio Ebro e Basílica del Pilar

Rio Ebro e Basílica del Pilar

Na Bodega Universal, onde todas as garçonetes são mulheres não se pode comer

Na Bodega Universal, onde todas as garçonetes são mulheres não se pode comer

Na Bodega Universal só há bebidas

Na Bodega Universal só há bebidas

Na SubTech 2010 - À mesa, Abdul Paliwala e Aires Rover

Na SubTech 2010 - À mesa, Abdul Paliwala e Aires Rover

cimg3862

cimg3863

cimg3865

cimg3867

cimg3869

Palacio de la Alfarería

Palacio de la Alfarería

cimg3880

cimg3885

cimg3890

cimg3910

cimg3912

Orides, Aires e Masseno

Orides, Aires e Masseno

Valladolid – Junho de 2010

8 de outubro de 2010 11:33 pm

Conforme noticiado aqui e aqui,  estive em Valladolid para as II Jornadas sobre Derecho y Tecnología & Noveno Encuentro Ibero-Americano de Gobierno Electrónico e Inclusión Digital, que teve lugar nos dias 28 e 29 de junho de 2010, na Facultad de Derecho de la Universidad de Valladolid, com apresentação, em 29 de junho de 2010, da palestra intitulada “Democracía electrónica y legislación electoral brasileña”.

Facultad de Derecho de la Universidad de Valladolid

Facultad de Derecho de la Universidad de Valladolid

Facultad de Derecho

Facultad de Derecho

Na Faculdade de Direito

Na Faculdade de Direito

Na Faculdade de Direito

José Renato Cella, Juliana Pelegrini, Jorge Moneo, Aires Rover, Fernando Galindo, Orides Mezzaroba e Yajun Zhang

Faculdade de Direito

Faculdade de Direito

cimg3694

Fernando Galindo, Nicolás Cabezudo e Ricardo Mata

Fernando Galindo, Nicolás Cabezudo e Ernesto Pedraz Peñalva

Manuel Vásquez

Manuel Vásquez

María Flora Martín Moral, Nicolás Cabezudo e María José Moral Moro

María Flora Martín Moral, Nicolás Cabezudo e María José Moral Moro

María José Moral Moro

María José Moral Moro

Nicolás Cabezudo e María Flora Martín Moral

Nicolás Cabezudo e María Flora Martín Moral

María Flora Martín Moral

María Flora Martín Moral

Fernando Galindo

Fernando Galindo

Aires José Rover

Aires José Rover

Javier García Marco

Javier García Marco

Jorge Moneo

Jorge Moneo

Camino Vidal

Juan José González López

Ricardo Mata

Ricardo Mata

Dámaso Javier Vicente Blanco

Dámaso Javier Vicente Blanco

Luis Carlos Amezúa Amezúa

Luis Carlos Amezúa Amezúa

Nicolás Cabezudo e Orides Mezzaroba

Nicolás Cabezudo e Orides Mezzaroba

Orides Mezzaroba

Orides Mezzaroba

José Renato Gaziero Cella

José Renato Gaziero Cella

Manuel Clavero Galofré

Manuel Clavero Galofré

Patricia Tapia Ballesteros

Patricia Tapia Ballesteros

Luis Rodríguez Moro

Luis Rodríguez Moro

Nicolás Cabezudo

Nicolás Cabezudo

María Flora Martín Moral

María Flora Martín Moral

Fernando Galindo

Fernando Galindo

José Renato Gaziero Cella e Fernando Galindo

José Renato Gaziero Cella e Fernando Galindo

José Renato Gaziero Cella

José Renato Gaziero Cella

José Renato Gaziero Cella, Aires José Rover e Fernando Galindo

José Renato Gaziero Cella, Aires José Rover e Fernando Galindo

Pausa para o café

Pausa para o café

Biblioteca da Universidad de Valladolid

Biblioteca da Universidad de Valladolid

Na biblioteca da Universidad de Valladolid

Na biblioteca da Universidad de Valladolid

Biblioteca da Universidad de Valladolid

Biblioteca da Universidad de Valladolid

Homenagem a Franco que ainda resta na Faculdade de Direito de Valladolid

Homenagem a Franco que ainda resta na Faculdade de Direito de Valladolid

José Renato Gaziero Cella e Fernando Galindo

José Renato Gaziero Cella e Fernando Galindo

Facultad de Derecho de la Universidad de Valladolid

Facultad de Derecho de la Universidad de Valladolid

Facultad de Derecho de la Universidad de Valladolid

Facultad de Derecho de la Universidad de Valladolid

Viva o verão espanhol!!!

Viva o verão espanhol!!!


Muros de Valladolid

cimg3751

cimg3749

cimg3748

cimg3747

cimg3745

Pelas ruas de Valladolid

Pelas ruas de Valladolid

cimg3719